20 de novembro de 2008

Piros, os Manchineri do Peru


Os piros tiveram seus primeiros contatos com os espanhóis em mediados do século XVII, quando os missionários franciscanos e jesuítas chegaram em suas explorações às zonas dos rios Tambo e Alto Ucayali. Neste primeiro avanço franciscano deram morte aos padres Herrera e Biedma. Nos últimos anos desse século, o jesuíta Richter visitou este grupo e redigiu um catecismo em seu idioma.

Em finais do século XVIII, os piros estenderam seu território até os rios Tambo, Ucayali e Cujar. Em 1795, se fundou a primeira missão piro e, em 1809, a segunda. Após as guerras da Independência peruana e o fechamento da sede missional de Santa Rosa de Ocopa, em inícios do século XIX, os missionários se retrairam. Entretanto, a atividade missionária com os piros continuou a cargo do Padre Plaza desde a missão de Sarayacu.

Em princípios do presente século, os piros se viram envolvidos na violência desatada pelos patrões caucheros, sendo recrutados como mão de obra para a extração de gomas e como caçadores de escravos. Uma proporção importante deste grupo foi levada fora de seu território tradicional pelos patrões, que geraram sua dispersão.

A partir de 1950, os piros começaram a ser evangelizados pelo Instituto Lingüístico de Verão e missões dominicanas, sob cuja assessoria se constituoram uma série de assentamientos que, em 1975, se acolheram à Lei de Comunidades Nativas.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA:
CUSCO - LA CONVENCIÓN - ECHARATE
LORETO - UCAYALI - PAMPA HERMOSA
MADRE DE DIOS - MANU - MADRE DE DIOS
MADRE DE DIOS - TAHUAMANU - IÑAPARI
UCAYALI - ATALAYA - RAYMONDI
UCAYALI - ATALAYA - SEPAHUA

Rios no Peru: Urubamba, Cushabatay, Madre de Dios e Las Piedras. Conhecidos no Acre como manchineri, se localizam no rio Purus, entre a boca do rio Iaco e do Curinaha e nos rios Maloca e Caspahá.

Fonte: Peru Ecologico