18 de julho de 2008

Ixã Dua Bakê e o Instituto Yuxibu

foto de Juliano Serra

Instituto Yuxibu dos Pajés Hunikuins da Floresta. Esta a missão colocada desde a reunião sob a samaúma onde os pajés Inu e Dua do Jordão acertaram a sua criação conforme seqüência de um pensamento que começou lá em São Paulo na presença do jovem Leopardo. Daí a nova geração, forte, da família hunikuin, estar se destacando em seu mesmo propósito: agora vamos a São João das Missões, norte de Minas onde um Xacriabá, José Nunes, se tornou em 2006 o primeiro prefeito indígena eleito no Brasil, pois Ixã Dua Bakê, pajé-mirim da Coordenação de Medicina Tradicional da Terra Indígena Alto Rio Jordão, da divisa do Acre com a selva peruana, busca conhecer o trabalho de produção de medicamentos iniciado por aquela re-etnia do Vale do Rio São Francisco, guardiães do Peruaçu e da mata-branca mineira da divisa da Bahia. Índios do Acre aprendendo com os índios de Minas Gerais, e vice-e-versa... Tudo é um mesmo Brasil e um "Ĩka Neibei" (dos hunikuins) pode, é claro, se intitular "Payé" pois pajés todos os da raiz nativa xamãs dos trópicos.

Aqui em Brasília, Ixã esteve com Fernanda Kaingang, do Instituto Indígena para Propriedade Intelectual - Inbrapi, para estar conectado o futuro Instituto Yuxibu com essas mesmas preocupações de defesa do patrimônio medicinal do povo hunikuin. Por enquanto remédios como potencializadores de memória, conceptivos femininos ou antibióticos naturais não podem sequer ser patenteados pois a lei internacional de patentes aceita por força do "trading" apenas propriedade por um período de 20 anos, depois do qual todas as coisas caem em domínio público, o que no caso dos povos indígenas, privaria suas futuras populações da posse de seu patrimônio intelectual. Um tipo de norma burra que amarra muitas histórias e conserva situações de paternalismo, expropriatórias afinal da autonomia interna das nações indígenas de muitos países, e também a das brasileiras.

Pessoal da Aromaterapia: agora para Ixã o sonho é ganhar uma destiladora de óleo essencial e começar uma fábrica de incensos na Aldeia São Joaquim, que fica mais próxima do município acreano de Jordão, na foz do rio de mesmo nome, no Alto Tarauacá. Em sua própria aldeia, Belo Monte, o pai Dua Busĩ está com a Escola de Pajés já funcionando, atendendo a um contingente de interessados das aldeias vizinhas, e nosso amigo Leopardo Yawabane lá está se arregimentando para maiores vôos. O Instituto Yuxibu permitirá também conduzir projetos de documentação cinematográfica, e o primeiro projeto diz respeito ao intercâmbio com nações equatorianas no tocante à sua medicina tradicional.

Para contacto e colaborações para o Pajé Ixã Dua Bake, escrevam via: kaxinawas@gmail.com

Um comentário:

Sementes de Luz disse...

OLá, Parabéns pelo blog! Sou natural do Amapá, mas só nos últimos dois anos comecei a atentar para toda essa riqueza contida na floresta.. ironicamente me mudei pro Rio, aqui aprendi a valorizar nosso povo, nosso índios etc. Legal este espaço!!! Jordão??? Conheces um jovem "Xana Xano", destas bandas do Jordão???? Não sei como escreve!!!!!

Um abraço!!
Carolinne www.buscadavisao.blogspot.com